Prêmio Multishow, Pabllo Vittar e o futuro da cultura drag

O Prêmio Multishow 2018 marcou os 25 anos da premiação refletindo a diversidade de nosso ano. Pabllo Vittar concorreu na categoria “Melhor Clip”, com “Indestrutível”; e Gloria Groove marcou presença entre os indicados para o troféu “Fiat Argo Experimente”.

Na cerimônia de premiação ocorreu a apresentação de Pabllo Vittar, que chegou voando em uma referência a um anjo e fez uma manifestação política gritando “ele não”. Nos bastidores, com a transmissão em segunda tela pelo YouTube, ocorreu a participação de outra popular drag cantora, Aretuza Lovi.

O Prêmio Multishow premiou os melhores do último ano e foi um reflexo de 2017, que apontou uma importante melhora na representatividade LGBT no mercado artístico brasileiro. O crescimento ainda é discreto, mas já perceptível em números. É importante para os profissionais da área que as conquistas sejam mantidas, mas olhando para o futuro.

O ano de 2018 pode ser ainda mais promissor para artistas do segmento aproveitarem o ramo publicitário brasileiro. Já no mês de janeiro, o site G1 destacou que a publicidade deve ficar mais aberta à diversidade: Efeito Pabllo Vittar: Após estouro da cantora, veja 10 artistas drags, trans e travestis que são apostas para 2018.

“A drag goiana Aretuza Lovi é a primeira a sentir a força do “efeito Pabllo Vittar”. No final de novembro, assinou contrato com a gravadora Sony Music. (…) Não é só a Sony que está de olho no movimento. Várias empresas procuram estas cantoras para ações de publicidade e oferecem uma fonte de renda cada vez mais visada na indústria musical hoje: propaganda e licenciamento de músicas. Pabllo Vittar chegou a anúncios de maquiagem a latinhas de refrigerante. Também no ramo das bebidas, a cantora trans Linn da Quebrada se associou a uma marca de vodca. Ela gravou com As Bahias e a Cozinha Mineira uma música e um clipe para a campanha.”

A rede de roupas H&M contratou no inicio de 2018 um diretor de diversidade e especialistas em tratar de temas tradicionalmente delicados tendem a marcar cada vez mais presença nos setores responsáveis pelo markenting das empresas. O Wall Street Journal destacou já em 2012 a importância do diretor de diversidade, mas só agora a pauta ganhou destaque na imprensa e cada vez mais se populariza o termo; como mostra o texto “Diretor de diversidade, o mais novo executivo de grandes empresas“.

Com a missão de criar um ambiente de trabalho onde mulheres e minorias possam florescer, o diretor de diversidade geralmente tem funções […] como garantir a aderência à ética e às leis. Possuir uma força de trabalho diversa é, sem dúvida, bom para a imagem da companhia.

O ano 2017 definitivamente abriu as portas das residências brasileiras para receber artistas LGBTs. A perspectiva é que em 2018 os movimentos sociais não devem permitir que elas sejam fechadas.

Em tempo: Aproveitando a data, Pabllo Vittar divulgou a capa de “Não Para Não”, próximo álbum da artista.

Previous Article
Next Article

One Reply to “Prêmio Multishow, Pabllo Vittar e o futuro da cultura drag”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre o autor

David Denis Lobão

www.000webhost.com